Escreva-nos!

povo.famalicense@gmail.com

A sua opinião é importante.
Somos um blogue com rosto, pelo que as mensagens anónimas vão direitinhas para o caixote do lixo; se for o caso, indique que deseja permanecer anónimo; mas perante nós, identifique-se, por favor.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Negligência no 112

Quando há dias escrevia a notícia da falta de profissionalismo do 112 perante a demora do socorro na noite de sábado dia 19 de Fevereiro na Vila de Ribeirão V.N.Famalicão, ainda eu não sabia que a vítima em causa tinha sido transferida para o Hospital São Marcos em Braga em virtude de hemorragia cerebral.

A jovem de 17 anos encontra-se em observações afim de saber se terá que ser submetida a uma cirurgia.

Falta apurar e o que daí verá, só o futuro dirá quais as sequelas que possam daí resultar e até que ponto uma intervenção rápida e mais que justificável não teria evitado isto que hoje sabemos!

Os 35 a 40 minutos de espera por socorro em que o 112 achava não ser necessário (Urgente) ditaram este cenário que hoje assistimos.

Cada vez mais, neste país em que vivemos a que chamamos Portugal impera a lei (C) Cunha, conhecimento, e outras coisas que lhe queiram chamar.

Não conhecia a vítima de lado algum no entanto, fiz aquilo que todo e qualquer ser humano que se preze faria ajudar, dar assistência, lamento que nem todos façam o mesmo quando o que está em causa é assistência rápida de socorro a alguém que precisa.

Poderão dizer o que disser, mais uma vez afirmo não me parece aceitável que alguém a 25 km ou mais de distância que não vê a vítima decida quem pode ou deve ter assistência.

Quantos casos como este já surgiram!? Quantos terão que surgir!? Para que se mude aquilo que é fundamental, e que está na nossa Constituição que é o auxílio, socorro e apoio á vítima.

José Oliveira

1 comentário:

amo-te disse...

Eu não teri dito melhor! Bravo!